Coluna de Fogo

... e de noite numa coluna de fogo para os iluminar...

  • Aumentar tamanho da fonte
  • Tamanho da fonte padrão
  • Diminuir tamanho da fonte

Simplicidade

E-mail Imprimir PDF



por André Oliveira

Aluno do Seminário Teológico Betel / Advogado

Crônica do dia:
Por que você não pode ser normal? Feliz, pra cima, alegre? Com a vida mais simples?”

Confesso que me surpreendi com tais perguntas que iniciaram minha tarde. Estava compartilhando minhas dificuldades e fui confrontado com esta fala, eu sei que a pessoa que as fez, certamente fez com o intuito de me mostrar que a vida pode ser mais “simples” e sem maiores preocupações. Será?! Talvez para uma pessoa comum seja assim. Não que eu não seja uma pessoa comum no sentido etimológico da palavra, mas em um sentido espiritual, não posso concordar... eu não sou um “comum”.

Deus tem planos específicos para pessoas específicas e em situações específicas, como diz o brilhante “teólogo” Bem Parker (rs): “grandes poderes, trazem grandes responsabilidades”. Então eu não posso ser normal porque Deus não me chamou para ser normal, ele me chamou para ser servo. Ser servo é uma grande responsabilidade, ser servo dEle, servo das suas ovelhas, servo da sua igreja, do seu santo ministério, daí eu não posso ser um comum.

Os comuns fazem o que todos fazem, servos não podem fazer. Os comuns agem não se preocupando com o que as pessoas vão pensar, os servos não podem agir. Os comuns vão ao culto receber de Deus, os servos cultuam na expectativa e com a preocupação de ser o canal de Deus para os comuns. Os comuns comem e bebem e olham seus próprios interesses, porque amanhã eles morrerão, já os servos consideram os outros superiores a si mesmos, e sabem que nada esperam dessa vida.

Os comuns não tem crises por não servir bem ao seu Senhor, afinal, eles são comuns, e é normal falhar de vez em quando. Servos com responsabilidade sofrem a cada vez que desapontam ao seu Senhor, porque sabem exatamente o quanto ele custou para Ele. Os comuns acham que podem viver exatamente como antes, pois, isso é comum, os servos entendem que necessariamente precisam viver diferente, pois não são mais comuns.

Sabe, não posso ser normal, porque eu não comum. Quanto a ser feliz, ora, sou muitíssimo feliz por ser servo dEle, afinal estou almejando excelente obra (1Tm 3.1). O fato de não estar com um sorriso nos lábios em todo o tempo, não faz de mim alguém triste, mas alguém que é humano e sincero com seus sentimentos. Existem dias de sorrisos e dias de choro, aliás, os dias de choro são até mais proveitosos (Ec 7.2).

Por fim, a vida é extremamente simples, afinal Eclesiastes 12.13 nos ensina a simplicidade da vida: “De tudo o que se tem ouvido, o fim é: Teme a Deus, e guarda os seus mandamentos; porque isto é o dever de todo o homem.” Quer saber, a vida é simples sim, nós que complicamos com nossas dificuldades em entender o que é fácil, e se o dever de todo homem é temer a Deus e guardar seus mandamentos, tô aí pra guardar o que Ele me mandou fazer, ser escravo. Escravo do seu amor, simples, feliz, mas nunca comum. =)

 

 

Adicionar comentário

Seu apelido/nome:
seu email:
Assunto:
Comentário:

Curta o Coluna de Fogo e compartilhe nosso conteúdo

Centelha Diária

Deuteronômio 25.1

"Se houver contenda entre alguns, e vierem a juízo para serem julgados, justificar-se-á ao inocente, e ao culpado condenar-se-á."

Em uma sociedade corrompida pelo pecado, é muito comum culpados serem inocentados e inocentes tornarem-se culpados. Isto, obviamente, não era plano original de Deus. Culpado é culpado e inocente é inocente. Se somos incapazes de proferir justos juízos e inaptos em dizer quem está certo ou errado, somos os verdadeiros culpados de cometer a injustiça.

Quem está online

Nós temos 76 visitantes online

Visitantes

4323320
HojeHoje1826
OntemOntem3356
Nesta SemanaNesta Semana16328
Neste MêsNeste Mês5182
TotalTotal4323320

Livros que estamos lendo


Frases para pensar

"... qualquer conhecimento que não está a serviço do amor não é verdadeiro conhecimento. É conhecimento prostituído. É como se Deus pusesse instrumentos cirúrgicos em nossas mãos e nos ensinasse como salvar os doentes, mas os usamos para realizar um exímio ato de malabarismo enquanto os doentes morrem."

John Piper